9 Conselhos para manter a motivação ao correr

Correr, como a maioria dos desportos ajuda-nos a liberar stresse e endorfinas, esquecer os problemas, ajuda-nos a ver a vida com outra cor, ensina-nos muitas coisas, oferece-nos experiencias únicas e, certamente, mantém-nos em forma. Abençoado seja o running!

Porém, como acontece com o resto de coisas na vida, não tudo é perfeito e não sempre somos capazes de ter as forças, vontade e motivação suficientes para correr ou, ainda tendo, sentimos que diminuem, que nossas reservas esgotam-se e que cada vez é mais difícil encontrar uma razão para correr.

Por isto, elaborámos este artigo com o objectivo de ajudar-vos não só a reencontrar a motivação se estiver perdida, mas também a promovê-la para não faltar nunca.

Muitos conselhos parecerão óbvios, e pode ser certo em grande parte, também é possível que já estejais cientes de que deveis fazer coisas assim para manter a motivação, porém, como comentamos quase sempre que escrevemos artigos com conselhos para correr, o simples fato de vê-los escritos e parecer que é outra pessoa a que fala, parece que dá mais forças e funciona melhor, pelo menos assim acontece connosco. Desta maneira, animamos que leiais, ainda que for uma passada rápida porque podem ser úteis, com certeza.

Vamos correr, ânimo!!!

1.- Desfruta o que fazes

…e faz aquilo que mais desfrutas.

Ainda que parecer uma sinestesia ou um paradoxo, uma das grandezas de correr é que pode-se sofrer e desfrutar ao mesmo tempo, ou como gostamos de dizer: desfrutar sofrendo.

Falamos de aprender a desfrutar dessa sensação de falta de fôlego, aceleramento do pulso, começar a sentir cansaço nas pernas, etc. Não se trata de sofrer só por sofrer, nem é preciso estar ao máximo todo o tempo, ainda correndo “com calma” podes sentir esse cansaço. Terás dias nos que é mais complicado correr, assim que desfruta porque é parte do desporto.

Potência o que mais desfrutas e elimina completamente o que não gostas ou cria um stresse desnecessário. Se não gostares de fazer séries, ou de ficar olhando o crono para ver o ritmo, esquece! Corre sem relógio ou não uses pulsómetro GPS. Não é preciso fazer baixadas perigosas se não gostas, há muito trail sem tanto nível técnico.

Desfruta das coisas boas que oferece correr, observa as melhoras, em tempos ou em sensações; melhoras na tua vida tanto a nível físico como mental.

Desfruta, desfruta e desfruta novamente, assim de simples.

2.- Escuta o teu corpo e tua mente

… e adapta o que fazes ao que digam.

Vamos matizar um pouco porque para algumas pessoas parece que o corpo e a mente só pedem ficar em casa deitado no sofá tomando uma cerveja ou um refrigerante, vendo a televisão ou jogando com algum videogame.

Não é a mesma situação se estiveres mais cansado do normal (as crianças não deixam dormir, muito trabalho, etc.), nestes casos não treines tão duro nesses dias, corre com calma ou simplesmente não corras e descansa.

Assim mesmo, se algum dia sentes mais inspiração do normal, seja pelo motivo que for, aproveita e corre mais rápido ou mais longe do planejado, aproveita essa subida no ânimo. É importante levar em conta que tal vez no dia seguinte pagarás as consequências, mais o importante é que desfrutaste.

3.- Estabelece objectivos e desafios

…que possam motivar, mas também possam ser cumpridos.

Esta dica é pouco original porque não é outra coisa que a transcrição ao mundo do running da ideia de que os objectivos devem ser “SMART”: específicos, mensuráveis, alcançáveis, realistas e no tempo.

Como disse o coelho para Alice, “Quem não sabe para onde vai qualquer caminho serve”, assim que, pensa em algum objectivo que suponha um desafio para conseguir motivação ao pensar nele. Claro, com cabeça e que seja alcançável para não conseguir o contrário, uma coisa que desmotiva ao ver que não a alcanças e que cada vez está mais longe.

Não importa se é um objectivo aparentemente pequeno porque é tão válido “conseguir correr 30 minutos consecutivos 4 dias na semana” como “correr uma maratona em menos de três horas”, o importante é que sirva para ti como ponto de referência, como meta que ajude a encontrar uma razão para preparar-te e no que pensar em momentos de desânimo.

4.- Sê constante

…mas não te obceques.

A constância é a clave para melhorar e, por extensão, da manutenção da motivação. Porém, não temos que exagerar e pensar que estar uns dias sem correr devido a provas, enfermidades ou qualquer problema, iremos perder o trabalho feito durante meses atrás.

É melhor colocar todos os dias um euro no mealheiro que colocar um dia um bilhete de vinte euros e estar dez dias sem meter nada. É melhor fazer três ou quatro dias na semana dez quilómetros que fazer um ou dos vinte ou vinte e cinco ainda que nos dois casos consigamos uma quilometragem e tempo similares.

Certamente, se consegues que essa constância se converta em um hábito, melhor ainda. Conselho para consegui-lo: pensa como se fosse um tipo de “obrigação não forçada”. Ou seja, assume que alguns dias terás que correr e fazer um número de quilómetros, e não os desloques se não houver uma causa realmente justificada.

5.- Cria tuas próprias contra-escusas

…para derrotar às escusas.

Tal vez este título ficou um pouco rebuscado, mas é simples: por cada “ai, não dá porque…” encontra ou cria um “não há problema porque…”.

Exemplo prático: para o típico “ai, faz muito calor, o solo quase queima, assim não há maneira de correr” diz “não há problema, coloco o cinto de hidratação e assim posso beber no caminho” ou “ok, faço a rota por aquela rua da fonte, assim posso molhar-me na metade do treino”.

Encontrar contra-escusas é tão simples como inventar uma escusa, só é questão de praticar um pouco e poderás ver o fácil que é criá-las.

6.- Varia o que fazes, prova novas experiências…

…inclusive se não forem puramente de correr.

Se sempre fazes o mesmo, corres pelos mesmos lugares, etc., no final irás parecer um hamster, tenta ir por caminhos que não conheces, diferentes ritmos, distâncias, superfícies. Tem sempre umas sapatilhas no carro ou nas viagens, faz os recados correndo.

Podemos dizer com certeza que irás ver as coisas de maneira diferente, e o simples fato se sentir-te fora do teu entorno ou zona de conforto, consegue gerar novas experiências e recompensas.

Quando falamos de variar, também falamos de experimentar correr na pista ou na esteira, se nunca o experimentaste, poderia surpreender-te a contribuição desses dois recursos, já que são muito mais do que “o lugar onde realizar séries” (no caso da pista) e “onde corremos quando faz frio, chove ou não temos tempo” (no caso da esteira).

Além disto, ainda que nos centremos em variar como e onde corres, pode-se aplicar também a outras modalidades ou desportos porque, ainda que não for a mesma coisa que correr, ainda é um desporto, é útil para manter a forma e, em definitiva, a motivação.

Um banho na piscina, um passeio em bicicleta, um pouco de trekking ou correr na montanha… Atreves-te com um triatlo? E com umas aulas de stresse metabólico (p. ex. Crossfit) ou tonificação (p. ex. Bodypump)? Há centenas de alternativas.

7.- Compra novo material

…e usa-o, claro.

Está no nosso gene, e o reforçamos desde crianças: adoramos os presentes!

Aproveita, dá-te um presente de uma coisa material ainda que não a precises e poderás ver o nível de motivação subir, não é outra coisa que um prémio.

Se quiseres ser mais pragmático pensa que tendo comprado alguma coisa uma suave voz dentro da tua cabeça dirá “ei, tens gastado muito dinheiro nessas novas sapatilhas, terás que correr para amortizar o gasto, não é?”.

8.- Partilha tua paixão

…no sentido mais amplo da palavra “partilhar”.

Não estamos falando de se hiper-conectar e estar todo o tempo partilhando nas redes sociais ou blogs as fotos de treinos que fizeste, mas de ir além: procurar companheiros de treino, correr com outras pessoas, procurar algum clube, etc.

Há milhares de opções que podem permitir, em maior ou menor nível de compromisso, desfrutar tanto se preferes correr sempre com companhia como se pensas que é agoniante treinar sempre com o clube. Se ainda não experimentaste, poderás ver as mudanças entre correr só e correr com um grupo.

Também não esqueças realizar alguma foto ocasionalmente e escrever algumas linhas no teu Facebook, Twitter, Instagram ou que utilizes, isso sempre forma parte do mundo do running e o intercâmbio de mensagens e brincadeiras normalmente pode subir o ânimo a todos.

9.- Compete tanto como queiras

…e descansa quando consideres conveniente.

No desporto está implícito grande parte de superação, não importa se é um elite ou um popular, todos competimos, ainda que for contra nós mesmos porque é inato da nossa condição humana.

Podes aproveitar isto para conseguir motivação, tanto faz se participando em milhares de corridas ou simplesmente competindo contra o que diz teu cronómetro nos teus treinos.

Além do mais, se quiseres melhorar tempos e tens ideia de procurar um ponto mais cada vez, compete habitualmente, ainda que for com zero pressões, sem stresse agregado, simplesmente como uma coisa diferente do dia-a-dia, como um treino com dorsal. Irás ver que essa sensação das borboletas no estômago de antes de uma competição é uma das maiores motivações que existe e que, porém suponha stresse, cada vez o poderás controlar melhor e desfrutar mais.

Mas isso sim, se gerar mais stresse do que desfrute, se não tiveres vontade pelo motivo que for, descansa, desconecta temporalmente porque não tem importância, regressarás, isto sabemos com certeza.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *